terça-feira, 29 de junho de 2010

Copa do Mundo e Ditadura Militar

Há 40 anos atrás, eu cantava na escola e em casa o hit da Copa: "Todos juntos vamos, pra frente Brasil, Brasil, salve a seleção!" e o outro também: "Noventa milhões em ação, pra frente Brasil do meu coração...". Eu pequena, com oito anos de idade, lembro-me de alguns fatos marcantes: meu pai era jornalista gráfico do Jornal da Tarde, pertencente ao Estado de São Paulo, o Estadão! Estive umas duas vezes lá no jornal com o pai. Recordo-me da preocupação dele, naqueles idos que inspiravam desconfiança e tensão. Uma noite, meu pai demorou muito a voltar do jornal. Quando chegou muito tarde, o ouvi contar para minha mãe que havia explodido uma bomba em um segmento do jornal. O comentário, baixinho, de soslaio, deixou uma forte impressão em meu imaginário. A ditadura do medo tomava conta de todos, dos vizinhos, dos familiares, dos amigos próximos. O hit da Copa do Mundo de 70 era a trilha sonora para as mais memoráveis violações de direitos humanos contra cidadãos brasileiros. A perseguição aos espíritos livres e emancipados tomou proporção de Santo Ofício. Ditadura? O futebol é meio parecido com isso. Até os que não apreciam o esporte são obrigados a conviver com a sua manifestação e a de seus adeptos. A ditadura do futebol nivela por baixo e se esconde sob a mais inocente expressão de patriotismo. Vamos combinar que patriotismo exacerbado não é compatível com cultura da paz! Que o Brasil vença a Copa, então, mas que se garanta que os não-torcedores sejam apenas admoestados, não torturados! Allea jacta est!

5 comentários:

  1. Por falar em futebol, li há algum tempo, quando ainda estava estudando pro vestiba, numa dessas revistas que "ensinam" a escrever, um conselho que dizia mais ou menos assim: "com as palavras é melhor ser um Elano seguro, do que um Robinho desajeitado"... Bom, há muito me "quebro" pra dominar as palavras como um Elano... Tu já o fazes como um Robinho, não o desajeitado, mas aquele que conhecemos. É prazeroso ler o que escreves! Parabéns!

    Quanto à Copa, sinceramente fico enojado! É bonito torcer, ser patriota, exaltar o país do futebol... Agora como nunca é bom deixar de lado aquelas besteiras! Aqueles problemas bobos! A fome, a corrupção, o analfabetismo... Podemos até parar com tudo, inclusive o Congresso... Ora, é Copa do Mundo!

    Grande abraço, Rô!

    ResponderExcluir
  2. Como já disse no e-mail que lhe enviei, gostei muito do modo como você escreve. Após ler esta última crônica tenho certeza de que muitas das pessoas que, como eu, não concordam com esta "parada do mundo" pela copa, estão muito bem representadas. As vezes tenho a impressão de que, se dependesse da vontade de milhões de brasileiros, o planeta terra, a lua, o sol e assim por diante, englobando toda a Via Láctea, devessem parar para que todo o universo possa apreciar a copa. Assim, não havendo movimentos de rotação, translação, os movimentos solares, dentre muitos outros, não haveria, na teoria, a passagem do tempo e, assim, todos poderiam se deleitar com o belíssimo futebol do seu país.
    Agora vou parando por aqui - antes de entrar nos pontos positivos que a copa traz, como fazer, por milagre, desaparecer todos os problemas e injustiças existente - visto que já estou ficando envergonhado, por estar me estendendo de mais.
    Grande abraço e, mais uma vez, parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  3. João e Iuri, vocês já são 'suspeitos' aqui neste espeaço, pois são meus alunos e sei que apreciam as minhas aulas! Muito obrigada por lerem o que escrevo! Isso é raro no meio acadêmico! Aliás, é raro o ato de ler (sem ser conteúdo para provas!). Um abração!

    ResponderExcluir
  4. Ops, "espaço", não espeaço... Hahahahaha

    ResponderExcluir
  5. Rô, fora que claro também sou suspeito, adorei a crônica. Mas comentarei uma passagem da sua crônica. Patriotismo, engraçado, não é, no Brasil temos um patriotismo raso, pois lembramos de enautecer a bandeira e seu simbolismo ou ser patriotas apenas em competições esportivas, a Copa é o exemplo atual. Imagina se fizemos como os norte-americanos que amam e enaltecem seus símbolos patriotas, como por a Bandeira em frente de casa, aqui Brasil quem fizesse isto seria alvo de chacotas com certeza.

    Grande abraços Rô

    ResponderExcluir