segunda-feira, 25 de junho de 2012

"PROMETHEUS": UM FILME EQUIVOCADO, QUE MACULOU A MINHA NOITE!

Ontem, domingo, fui assistir, no cinema aqui de Santa Cruz do Sul, ao longa de Ridley Scott, ficção científica intitulada de "Prometheus", longínqua referência ao Prometeu, da mitologia clássica, que roubou o fogo de Zeus para presenteá-lo à natureza humana. Todavia, estamos, mesmo a contragosto, diante do gênero  ficção científica, no qual Scott colaborou para sofisticar, há mais de três décadas ("Alien", de 1979, e "Blade Runner", de 1982). Na verdade, não li crítica alguma, de modo sistemático, para não desistir da empreitada de assistir a essa ficção científica de Ridley Scott, mas, confesso, eu já sabia que a mesma estava sendo depredada pelos cinéfilos, ainda que contando com Michael Fassbender (de "Shame"), Noomi Rapace (da trilogia sueca "Millennium") e Logan Marshall-Green (de "O grande ataque"), além da bela Charlize Theron (de "Vidas que se cruzam").
O que me vem à mente hoje, já com um certo distanciamento do objeto, é: - Como um grande cineasta britânico produziu e dirigiu um longa tão irregular, repleto de equívocos e com graves problemas de roteiro? Ficamos indignados com a experiência, que não teve nada de estética, e conversamos uns bons 40 minutos em casa sobre os problemas que verificamos na trama, de ordem técnica e de roteiro. Os cenários inóspitos e as criaturas fisiológicas, também criadas pelo mesmo HR Giger, de "Alien", não salvam o longa-metragem do equívoco e provocam uma fulminante comparação com a inventividade do 'sétimo passageiro' e com a natureza lúdica dos replicantes de "Blade Runner", tendo em vista o   andróide pernóstico de "Prometheus", encarnado por Michael Fassbender, que se regozija por ressuscitar línguas mortas, por ter erudição e se confrontar com os doutores e pesquisadores da expedição paga por um bilionário senil, esperançoso em obter algumas respostas metafísicas e ter sua vida prolongada pelos supostos 'criadores', a quem todos procuram. 
Se fosse um 'remake' de "Alien", em 3D, certamente seria um filme melhor! Desculpa-me, Ridley Scott, mas o senhor, do alto de seus mais de 70 anos, 'saiu da casinha' desta vez! 

6 comentários:

  1. Rô, o melhor filme do Scott, na minha opinião, é o primeiro que ele realizou, "Os duelistas", em 1977. Não gosto mais dele há muito tempo. Ele é muito pretensioso e os roteiros que ele filma são sempre cheios de equívocos. Ridley Scott é um fanfarrão que só pensa em ganhar um Oscar. Seus filmes, sobretudo os que ele realizou nos últimos vinte anos, não são mais que tentativas de espetáculo visual e rítmico. O superestimado "Gladiador", por exemplo, para mim não é mais que um desperdício de mais de uma centena de milhões de verdinhas. Os mais tolerantes dirão: "Ah, mas Ridley Scott é visionário!". Olha, só se for em relação a novas marcas de pipoca.

    Quanto ao roteiro deste "Prometheus", só podia ser cheio de furos: foi inteiramente reescrito pelo roteirista de "Lost", o Sr. Damon Lindelof. Fuja desse nome mais ainda que o diabo fugiria da cruz.

    Abração, Rô, e obrigado pelos torpedos!

    ResponderExcluir
  2. Também adoro 'Os duelistas', que revi em DVD em 2011, mas eu só pretendi mesmo lembrar aqui sua incursão pioneira e original no final dos Anos 70 e início dos 80 na ficção científica. Obrigada por comentares sempre o que eu escrevo e contribuíres todas as vezes. Abraço carinhoso!

    ResponderExcluir
  3. Oi Rô.
    Tem coisa que é melhor deixar quieto... Ridley Scott é daqueles diretores que quanto menos interferirem no bom andamento do trabalho, melhor. Mas do cinema não se pode esperar muito, são raros os filmes "olháveis", porque hoje são feitos para gente com preguiça de ler, com concentração que dura poucos segundos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo com o "deixa quieto"! Tenho de me expressar e compartilhar com os meus amigos, amantes do Cinema de Arte, minhas impressões estéticas. Abração!

      Excluir
  4. realmente anda difícil, creio que as duas exceções nas salas de Porto Alegre são os dois filmes que a Rô comentou anteriormente, logo na estréia de Prometheus, tentei ir ao cinema, mas só dava ele, os outros tinham sido movido de horário, e acabei não indo, pois a esse filme, me recusava ver...Como vc disse, um desperdício de dinheiro e de bons atores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ewe, não percas tempo mesmo. Como tu tens restrições para saíres, se podes sair de casa, vais assistir ao que é memorável! grande beijo, amiga! Nossos aniversários estão se aproximando! Estarei em POA no dia 13 de julho. Beijos!

      Excluir