quarta-feira, 3 de outubro de 2012

A ESCOLHA PELA MUDANÇA: A MEDITAÇÃO!

Sempre ouvi dizer, ao nível do senso comum, que apenas pessoas que teriam acesso a um nível de conhecimento muito elevado, apresentariam condições de fazer uma escolha pela Meditação. No entanto, não é o que eu tenho aprendido com o meu Mestre: eu até posso promover mudanças em minha visão e atitude, e é o que eu tenho feito, mas a Meditação não é parte de um plano, decorrente do uso legítimo de minha racionalidade. Simplesmente, sem saber explicar a partir de inferências, fui-me aproximando da prática. Do Budismo, eu já estava próxima há muitos anos, até o final de 2008, quando cancelei minha participação em um 'vipasana'! Estou resgatando o que ficou para trás, há quase quatro anos, em uma busca incessante de compreender o que está por detrás dos pensamentos - e de meu sofrimento - e o que é possível utilizar, como técnicas, para alcançar esse 'estado'! Estive mergulhada em momentos de tristeza e de desesperança (o Samsara!!), de outubro de 2011 a junho de 2012, de ordem pessoal. A prática da Meditação, orientada e acompanhada por um Mestre, associada à formação filosófica, tem-me aberto novas perspectivas de entendimento de minha própria vida e de meu entorno, sem falar na serenidade e na alegria, que esses estados têm-me proporcionado. Eu prometi a meu Mestre que, tão-logo eu tenha uma forte e paradigmática vivência de Meditação, eu alterarei na página de meu Facebook a autodenominação de "agnóstica" para "espiritualista", como ele já vem sinalizando há semanas! Namaste!

3 comentários:

  1. Rô...que interessante isso...e o mais bonito é que não é algo que é possível ensinar, mas é possível aprender. Por que digo isso? Porque não é volitivo. Depende do clima, dos temperos, das estações em que a consciência está, que vai criando a possibilidade desta abertura rumo a Si mesmo. Um Si mesmo que se encontra onde as palavras apontam, e nunca nelas! Welcome to the club! Nattaniel Piva.

    ResponderExcluir
  2. Mami, acho que vc não tem que esperar ter uma vivência forte de meditação para se considerar espiritualista. O próprio fato de vc buscar a meditação já denota uma mudança em seu estado de espírito e consequentemente nas suas crenças. Só o fato de vc apostar na meditação para lhe ajudar a criar um estado de relaxamento e plenitude já significa que vc é espiritualista, ou então como meu mestre fala, "universalista". Adorei essa expressão e adotei ela, pois como a própria palavra diz, ela é mto mais universal do que qualquer outra classificação de crença.

    Tenho um mantra mto lindo pra te indicar, pra vc cantar nas horas que vc for meditar:

    http://www.youtube.com/watch?v=AFGAL9b2jdY&feature=player_detailpage

    Esse mantra é dedicado à Tara Verde, conhecida como o Buda feminino, que nos conecta com a alma das coisas e desperta nossa criatividade para desenvolvermos nossa própria sabedoria.
    Tara é uma grande libertadora e nos afasta de todos os nossos medos nos impulsionando a criar a nossa própria vida iluminada.
    Bjs e mta luz. Te amo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mimo! Tu és sempre a mais madura e consciente de todos da família!

      Excluir