segunda-feira, 8 de abril de 2013

LIVRARIAS CARIOCAS E MAIS CINEMA!

Depois de me encontrar com a minha mãe, que completa hoje seus 80 anos, de lucidez e alegria, fiz um tour pelas melhores livrarias do RJ. Eu já havia ido às livrarias Folhas Secas e Prefácio, que ficam no Centro e no Botafogo, respectivamente. Depois, iniciando pela 1º de Março, fui à Leonardo Da Vinci, na Av. Rio Branco, 185, subsolo. Não há nada igual em termos de livraria de arte e humanidades no Brasil. O Mário, um funcionário muito gente fina, procurou tudo o que eu precisava no sistema, deu-me valores, taxas de importação e, ainda por cima, entrou na Estante Virtual para checar o que eu encontraria na cena dos sebos cariocas. Além disso, deu-me os mapas atualizados dos sebos e livrarias do Centro do RJ e da Zona Sul. Depois, fui ao sebo Berinjela, também no mesmo subsolo da galeria Marquês do Herval, no mesmo endereço. Encontrei lá duas preciosidades em DVD: "Para sempre Mozart", de J.-L. Godard, e "Os donos da noite", de James Gray. Esse último é presente para o meu querido amigo e interlocutor, o Fabiano Felten, uma das pessoas mais brilhantes que conheci em minha vida, com rasgos de erudição mesmo! Eu não tinha muita grana para gastar desta vez, mas consegui comprar um mimo para cada amigo íntimo e para minha filha - como sempre.  Meu lema é 'comer pouco para ir ao cinema e comprar mimos aos amigos'! Hahaha Que dia magnífico! De quebra, fui à Arlequin, mas não encontrei os dois CDs de jazz que eu tanto queria. Terminei na Livraria Travessa para um café. Eram 16h35, o tempo estava fechado e ventava bastante. Eu estava na Cinelândia, dirigindo-me à estação de metrô, mas fui barrada. Um homem havia, uns 15 minutos antes, se jogado no trilho do metrô. Isso causou a maior confusão na Av. Rio Branco. Sentei-me e refleti. Fui a uma parada de ônibus e aguardei qualquer um que fosse para a Zona Sul. A meta era sair daquela balbúrdia. Que coisa! Isso daria um roteiro de um longa! Por fim, assisti ao quinto longa, o último dos irmãos Tavianni, "César deve morrer", inspirado no texto "Júlio César", de Shakeapeare! Mais uma obra de arte! Um abraço a todos os meus leitores! Obrigada por acompanharem meus passos pela Cidade Maravilhosa! Abaixo, fachada da vitrina do sebo Berinjela e da fachada da Leonardo Da Vinci.


2 comentários:

  1. Obrigado pelo carinho, Rô! Gentileza sua, como sempre. Somos dois construtores de diálogos e reflexões mutuamente entusiasmantes. Um grande abraço e até breve, minha cara!

    ResponderExcluir
  2. Falei com a Aninha pelo Face agora. Tô na rodo, na lan house, aguardando para voltar no bus das 16h30. Dá-me uma tristeza de ter de voltar, mas são os meus amigos, mais que o meu trabalho, que me enchem de entusiasmo e vontade para seguir a minha jornada no interior. Abração, amigo! Até breve!

    ResponderExcluir