domingo, 18 de novembro de 2012

UM POEMA


CONTAS A PAGAR


Estou em dívida com meu ‘mestre’,
Que de minha vida não cuidou,
Superficialmente participou
Até transbordá-la de desamor.

Aquilo que não quis ser,
Que não pude acolher,
Recusei-me a entender,
Ainda assim, em meu ‘mestre’, me abasteci.

Lembrei-me das viagens,
Dos passeios culturais
Dos poemas que sem ele eu sorvi.

Para além do que ficou para trás
Para aquém do que me está reservado
Devo muito a quem foi meu 'mestre'!

Que de minha vida
Não mais participou.

Anuncio aqui,
Há pouco instalado,
Meu desafeto e, de devedor, meu extrato!

Rô Candeloro - out. 2012 (do livro inédito, "Viagem abissal")

Nenhum comentário:

Postar um comentário